Debates durante o evento “Planejamento Energético da Matriz Veicular do Brasil até 2030” fizeram autoridades e empresários olharem o futuro com grandes expectativas

Fechamento do dia: palestra da EPE trouxe dados animadores.

Um dia intenso. O evento “Planejamento energético da matriz veicular do Brasil até 2030”, promovido pela FIEPE, aconteceu nesta segunda-feira em Recife reunindo autoridades e muitos empresários e gerentes industriais e agrícolas, tendo muita repercussão na mídia.

Na ocasião foram discutidos vários pontos como o RenovaBio, previsões de abastecimento por etanol, aproveitamento do hidrogênio contido no etanol e até as desvantagens do carro elétrico.

A Paraíba esteve bem representada pelo Dr. Edmundo Barbosa, presidente administrativo do Sindalcool, que compôs a mesa de debate sobre “Projeções de Oferta e Demanda do Etanol, Gasolina, Biodiesel e Diesel”, juntamente com o Dr. José Mauro Coelho, da Empresa de Pesquisa Energética; e Dr. Roberto Holanda Filho, Presidente da Biosul – MG.

A respeito do evento, Dr. Edmundo Barbosa concluiu: “Foi muito proveitoso, pelo reconhecimento de todos ao Ministro Fernando Coelho Filho e ao Dr. Plínio Nastari, além da clareza com que Marília Folegatti e Miguel Ivan explicaram que o RenovaBio é um programa para quem quer fazer o que é certo. As discussões foram úteis para colocar foco no senso de urgência e na celeridade para os produtores que ainda não tem o CAR – Cadastro Ambiental Rural. Na palestra final da EPE o planejamento energético dos veículos leves foi apresentado com ganhos de eficiência de 1,1% ao ano, o que é muito animador, porque como já confirmado pela ANFAVEA, o consumidor terá maior economia tanto nos veículos Flex como nos híbridos Flex, cujas vendas têm crescimento estimado em 4,3%. Foram mostradas previsões de abastecimento por etanol e o volume de Importações evitadas melhorando a balança comercial, além de investimentos em toda a área de energia de 1,3 trilhão de reais com dezenas de empreendimentos decorrentes no setor elétrico, com o RenovaBio e o programa Combustível Brasil. A eletrificação da frota de veículos leves virá lentamente, as células combustível com aproveitamento do hidrogênio contido no etanol continuarão sendo uma meta. Os problemas ambientais gerados pela origem do lítio usado nas baterias e seu elevado custo, além do descarte desse tipo de lixo também foram debatidos”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *