Ministro de Minas e Energia destaca etanol como alternativa para a eletrificação veicular

Em discurso na tarde de ontem (21) ao término do Seminário “O Futuro da Matriz Veicular no Brasil”, promovido pela ANP no Rio de Janeiro, o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque enalteceu o papel fundamental dos biocombustíveis como alternativa para a descarbonização do planeta, que em sua visão “é uma tendência irreversível”.

“Apesar da tecnologia de eletrificação das plataformas veiculares parecer um caminho sem volta, a utilização de uma modernização baseada puramente em baterias não deve ser considerada como única trajetória a ser seguida. A inovação do veículo elétrico puro da forma como vem sendo proposto por alguns países detentores desse conhecimento, ainda apresenta árduos desafios em pesquisa e desenvolvimento para sua disponibilização em larga escala e a preço competitivo, até que se possa dispor de uma tecnologia viável, aplicável em larga escala, com o menor gasto possível em infraestrutura de disposição de energia, há que se trilhar um percurso que leve em conta as limitações e a vocação de nossa economia”, destacou Bento Albuquerque.

Ainda segundo o Ministro, “em breve o Brasil poderá contar com um modelo de veículo híbrido flex utilizando etanolhidratado, cujo lançamento ocorreu no final do ano passado. Com esta modernização teremos em circulação o veículo automotivo mais limpo do mundo, de acordo com cálculos da Associação de Engenharia Automotiva, atualmente esse modelo emite 1/3 da descarga de CO2 do veículo elétrico europeu”, explicou o Ministro do MME.

Em seu discurso Bento Albuquerque também enalteceu o papel fundamental do RenovaBio para que o país possa oferecer uma matriz nacional de política energética mais limpa, com “previsibilidade de mercado e investimentos em expansão da produção de biocombustíveis, uma das prioridades do governo”.

Ao final de seu discurso oficial, o Ministro sugeriu alguns desafios à plateia formada, quase que em sua totalidade, por autoridades nos setores de energia, “proponho o desafio de buscarmos outras soluções para a eletrificação das plataformas veiculares como por exemplo a viabilização econômica da célula a combustível etanol com a gás natural, o carro elétrico utilizando etanol ou gás natural como fonte de energia com relevantes vantagens competitivas, de conciliar a eficiência dos motores elétricos e a vocação nacional para a produção de biocombustíveis, de solucionar a problemática associada ao tempo de recarregamento de baterias, de constituir a solução mais limpa para a descarbonização da matriz energética e de renunciar vultosos investimentos em expansão da infraestrutura de geração e distribuição de energia elétrica, por utilizar os meios já existentes para a disponibilização de combustíveis líquidos, nos 42 mil postos de combustíveis no País”.

Para o presidente da UDOP, a visão apurada do governo recém empossado, demonstra que o Brasil caminha para ter uma matriz energética cada vez mais limpa e renovável. “São passos e sinalizações muito importantes para o País, pois temos, pela primeira vez, um horizonte previsível para nosso setor, através da consolidação do RenovaBio e suas metas, que vão alçar nosso segmento sucroenergético a novos patamares no médio e longo prazo”, destacou Amaury Pekelman.

POR: Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *