Câmara setorial do Ministério da Agricultura elege novo presidente por unanimidade

A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e do Álcool, ligada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), conta a partir de hoje (24), com novo presidente, eleito e aclamado por unanimidade, o também presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (SIAMIG), Mário Campos.

         Lideranças brasileiras do setor, membros dessa Câmara Setorial, demonstraram entusiasmo e alegria com a eleição de Campos, como o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool na Paraíba (Sindalcool), Edmundo Barbosa, que lembrou da efetiva participação do mineiro no seu Estado, ao liderar reinvindicação para a redução da alíquota do ICMS do etanol para 14%, junto ao governo estadual.

         “Com preços mais competitivos, as vendas de etanol se multiplicaram e o consumo mensal do etanol em Minas Gerais saltou de 50 milhões de litros para 200 milhões de litros por mês, o que beneficiou dezenas de municípios, pois os empregos também se multiplicaram em várias atividades e muitas regiões pobres mudaram completamente”, lembrou Edmundo.

         O presidente do Sindalcool declarou ainda que o governo mineiro e a Assembleia Legislativa em Minas debateram e afinal houve a redução da alíquota para 14% de ICMS o que levou tanto desenvolvimento ao Estado, com isso, os mineiros passaram a ter combustível mais barato. “O desenvolvimento econômico trouxe aumento da arrecadação de impostos tanto nos municípios, como no Estado e muitas outras atividades produtivas se instalaram junto das regiões produtivas”, informou.

         Mário Campos disse que é uma responsabilidade muito grande que assume, principalmente ao substituir a profícua administração realizada na câmara pelo presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Alexandre Lima Andrade.

         Além da grande satisfação de presidir o órgão na gestão da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e do seu secretário executivo, Marcos Montes. “Tenho uma grande disposição para fazer uma gestão com a mesma qualidade das anteriores, que tanto ajudaram a construir uma câmara setorial sólida, apoiada pelos vários segmentos envolvendo o setor”, afirmou.

         A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e do Álcool do Mapa, formada por 47 entidades da cadeia produtiva de açúcar e etanol, tem a missão de debater os temas relacionados ao setor sucroenergético do Brasil.

A cadeia produtiva da cana-de-açúcar, produção do etanol, açúcar e bioeletricidade contribuiu em média com 10% do PIB do agronegócio de 2012 a 2017, conforme a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (ÚNICA), 2019), além disso, esse setor econômico corresponde a 2% do PIB nacional e gera mais de 2 milhões de empregos.

Sindalcool com assessoria da Siamig