Em um momento de dificuldade, é preciso olhar para frente, buscando novas tecnologias e caminhos. A frase dita pelo chefe do Departamento do Complexo Agroalimentar e Biocombustíveis do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Mauro Mattoso, durante a 19ª Conferência Internacional Datagro Sobre Açúcar e Etanol, em São Paulo (SP), faz coro às ideias de inovação que têm sido citadas por importantes nomes setor.

O gerente explica que vem observando projetos pontuais de investimentos nas usinas, especialmente nas áreas de aumento de produção de etanol e de cogeração, após uma queda nos desembolsos vista neste ano em geral.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, os financiamentos do setor cresceram 7% em setembro. Assim, Mattoso se questiona se este pode ser o início de uma retomada.

Considerando este cenário, o banco quer atuar de forma forte no nicho da produtividade e, por isso, acredita no “enorme potencial” do biogás, conforme Mattoso. Em um contexto no qual existe o RenovaBio, essa possibilidade pode ser lucrativa e sustentável.

“A usina vai poder substituir o diesel e vai melhorar sua nota no RenovaBio”, afirma o gerente. Desta forma, explica, o banco está discutindo a criação de um financiamento para a aquisição de equipamentos que funcionam a biometano. E completa: “Também estamos tentando aumentar o volume dos projetos no programa ABC [que permite maiores limites de financiamento] para poder atender aos projetos de biogás.”

Neste sentido, a ideia do banco é negociar maiores prazos para projetos de maior porte. No caso do biogás, já conseguem até 16 anos, mas ainda não chegaram aos 20 anos. Ainda assim, os benefícios esperados são positivos: “O biogás é uma nova fonte de renda, um novo produto”, afirma o gerente.

Ele ainda explica que, com o biometano, é possível tanto gerar energia quanto substituir o diesel, abastecendo veículos, além de produzir um fertilizante de maior qualidade, que pode solucionar o problema ambiental da utilização da vinhaça. Desta forma, “o biogás torna o etanol mais verde ainda”, conclui Mattoso.

Segundo dados apresentados durante a Conferência Internacional Datagro, o setor sucroenergético tem um potencial de gerar 56 milhões de metros cúbicos de biometano por dia., volume que corresponde a 10.565 MW, ou 75% da capacidade da usina de Itaipu. O potencial de geração poderia também substituir 52 milhões de litros de diesel, ou 50% do consumo de diesel do setor agropecuário.

Fonte: Nova Cana – 29/10/19

#EuPrefiroEtanol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *