Sindalcool-PB participa de encerramento do Maio Amarelo na Câmara Municipal de Cabedelo

 

Na manhã desta quarta-feira (31), o Sindalcool-PB participou da sessão especial de encerramento da campanha nacional “Maio Amarelo” na Câmara Municipal de Cabedelo, localizada na região metropolitana de João Pessoa. 

Na oportunidade, o economista Marcelo Martins, representando o presidente-executivo do Sindalcool-PB, Edmundo Barbosa, recebeu a Roseta Maio Amarelo pelas mãos da educadora de trânsito Abimadabe Vieira, que atua na Semob de Cabedelo.

 

Abimadabe Vieira entrega Roseta Maio Amarelo para Marcelo Martins

 

Abimadabe é parceira do sindicato em diversas ações relacionadas à segurança viária. A Roseta Maio Amarelo foi um símbolo criado pela sua equipe para homenagear autoridades, políticos, dirigentes empresariais e de órgãos de trânsito, e pessoas da sociedade civil que contribuem para a educação e a segurança viária. 

Neste mês de maio, a equipe do Sindalcool-PB participou, junto com Abimadabe e outras entidades, de uma blitz educativa do Maio Amarelo no bairro de Mangabeira, na zona sul da capital.

 

Sindalcool-PB vem alertando sobre relação mortes e poluição 

 

A versão online do noticiário Diário de Pernambuco publicou em 6 de abril de 2023 uma matéria intitulada: “Três anos de exposição à poluição são suficientes para aumentar risco de câncer”. 

Apenas três anos de exposição ao ar contaminado por partículas finas (PM2,5) são suficientes para favorecer o aparecimento de câncer de pulmão, mesmo em quem nunca fumou. Esse tipo de poluição é causado, principalmente, pela queima de combustíveis fósseis e pela atividade industrial. Um estudo publicado na revista Nature, que acompanhou 32.957 pacientes não tabagistas com mutação no gene EGFR, uma das mais comuns associadas à doença, mostrou que, nessas pessoas, o contaminante interage com a genética, elevando consideravelmente o risco do desenvolvimento do tumor”, dizia o material”, diz a publicação.  

Nas redes sociais (@sindalcool e @completacometanol) e nas ações relacionadas ao Maio Amarelo, o sindicato ressaltou a relação entre o número de mortes, favorecimento de doenças respiratórias, cardiovasculares e até cânceres, como no caso apontado na matéria acima, que podem ser causados pela poluição oriunda dos combustíveis fósseis.