POR: Plinio Nastari (presidente da DATAGRO e representante da Sociedade Civil no CNPE Conselho Nacional de Política Energética).

A adesão ao RenovaBio de produtores de biocombustíveis, e de etanol em particular, de todo o Brasil, é muito importante não apenas para o sucesso da implementação do programa, mas para o futuro dos próprios produtores.

Muitos produtores perguntam se o RenovaBio será relevante para o futuro de sua atividade. A resposta inequívoca é que será fundamental. Os custos relacionados à preparação para entrar o programa, à alocação de recursos humanos internos para entender como funciona, inserir dados na calculadora, preparar equipes internas para estudar como aprimorar indicadores chave, e realizar a certificação para emissão da Nota de Eficiência Energética-Ambiental (NEEA), são irrisórios comparados aos benefícios que serão gerados.

Estes benefícios não estarão relacionados simplesmente à possibilidade de venda de CBios. Estarão principalmente ligados a uma melhor compreensão sobre o que pode ser feito para melhorar a performance de sua atividade, na gestão do que já existe, e no direcionamento de ações de diversificação e aproveitamento de potenciais ainda pouco explorados com o uso de resíduos e sub- ou co-produtos.

O fato de que alguns produtores, por questões de topografia e economicidade, não poderem implementar um grau de mecanização e automação mais intensos, pode ser compensado com ações em outras áreas, que podem mais do que compensar esse diferencial.

Pela primeira vez, nos 500 anos de história de desenvolvimento desta atividade, os produtores terão a oportunidade de valorizar o seu trabalho, o seu produto, e os seus ativos, através de um processo de certificação que trará visibilidade sobre a sustentabilidade que já existe e realizam, ampliando-a e trazendo longevidade à atividade.

Aderir ao RenovaBio é indicar ao consumidor dos seus produtos que sua atividade está alinhada com o que há de mais moderno e sustentável em termos de produção de energia limpa em todo o mundo. O mundo científico elogia o Brasil por ter criado um mecanismo eficiente e moderno de precificação em mercado do carbono emitido no uso de combustíveis fósseis. Participar do RenovaBio é fazer parte dessa nova fase de renovação do setor sucroenergético nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *