Maio Amarelo: Sindalcool-PB alerta sobre emissões poluentes no trânsito

 

Na manhã desta terça-feira (9), no bairro de Mangabeira, zona Sul de João Pessoa, membros do Sindalcool-PB estiveram presentes em uma blitz educativa do Maio Amarelo, campanha que alerta a sociedade para o número de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo.

Representando o presidente-executivo do sindicato, Edmundo Barbosa, o economista do Sindalcool-PB, Marcelo Martins, alertou aos presentes sobre os malefícios à saúde causados pela queima de combustíveis fósseis e destacou o papel do etanol.

 

 

 

 

Marcelo Martins destacou o papel do etanol em blitz educativa

Outra questão muito importante relacionada ao trânsito, além das mortes e acidentes, é a poluição do ar provocada pelos veículos. O uso de combustíveis fósseis, como a gasolina e o diesel, tem um impacto significativo na qualidade do ar, afetando a saúde das pessoas e o meio ambiente. O  etanol surge como uma alternativa mais sustentável e menos poluente”, disse Marcelo.

Dessa forma, o Maio Amarelo não se limita apenas à conscientização sobre o trânsito seguro, mas também inclui a preocupação com o meio ambiente e a busca por soluções mais sustentáveis para a mobilidade urbana. Todos nós podemos contribuir para um trânsito mais seguro e um mundo mais limpo e saudável, seja respeitando as leis de trânsito, seja escolhendo opções mais sustentáveis de transporte”, finalizou o economista. 

Na ocasião, foram entregues, inclusive, panfletos que informavam a relação entre o ar poluído e a ocorrência de mortes. Em 2019, o relator especial do Conselho de Direitos Humanos das Organizações Unidas (ONU) apresentou que “sete milhões de pessoas morrem por ano, no mundo, pelo fato de respirarem ar poluído”. 

 

 

Nesse momento de transição energética, o biocombustível etanol ganha ainda mais relevância. 

Além de reduzir em cerca de 90% as emissões de dióxido de carbono, o etanol reduz a concentração de material particulado ultrafino nas cidades. Essas nanopartículas de poluição são tóxicas e causam problemas cardiovasculares e respiratórios.  

A educadora de trânsito e observadora certificada do Observatório Nacional de Segurança Viária, Abimadabe Vieira, agradeceu ao Sindalcool-PB por mais um ano de parceria na realização da blitz educativa. 

De acordo com a educadora, a ação foi exitosa e atingiu o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o número de acidentes e óbitos no trânsito. 

Na Paraíba, houve aumento no número de acidentes de trânsito; ocorrências com motociclistas são as mais frequentes 

 

A coordenadora do programa Vida no Trânsito, Gerlane Carvalho, apresentou dados dos dois hospitais de trauma do estado da Paraíba. 

Nesses três primeiros meses do ano, concluímos que houve um aumento no número de acidentes de trânsito de 13,35%. Em compensação, houve uma redução no número de óbitos no sistema de mortalidade do Ministério da Saúde, onde são registrados todos os óbitos”, disse Gerlane, que atua no órgão ligado à secretaria de Saúde do estado.  

Policiais do Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário da Polícia Militar da Paraíba (BPTran-PMPB) também estiveram presentes no evento. Esse batalhão é acionado em ocasiões que ocorrem acidentes com vítimas, e também atuam fazendo trabalhos preventivos por meio de campanhas.

O acidente mais ocorrente é com o motociclista devido à imprudência, excesso de velocidade e falta do uso do capacete. Para os motociclistas, recomendo obedecer a sinalização, usar sempre capacete e seguir as prioridades no trânsito”, disse o tenente Batista, que estava representando o tenente-coronel Jucier, comandante do BPTran.  

No fim de semana, os casos relacionados à embriaguez também acontecem de forma intensa, mas, no cotidiano, a maioria dos acidentes acontecem devido à alta velocidade, desrespeito à sinalização e desrespeito ao próximo”, finalizou o policial. 

Outra entidade presente na blitz foi a Associação Nordestina de Resgate e Administração de Emergências (Andrae). Essa ONG, que tem 16 anos em João Pessoa, atua fazendo atendimentos voluntários de urgência e emergência, inclusive no trânsito. 

Edileuza Araújo, que coordena um grupo de idosos em Mangabeira, comentou que essa parcela da população também é vítima de acidentes. “Alguns idosos do meu grupo já foram acidentados em plena faixa de pedestres. Os idosos reclamam muito da falta de atenção dos motoristas de trânsito e da falta de acessibilidade e ocupação indevida das calçadas”, ressaltou Edileuza.

Estavam presentes no evento representantes do 5º BPM, alunos do Colégio da Polícia Militar da Paraíba, a ONG Andrae, o projeto Vida no Trânsito, uma equipe da Semob de Cabedelo, representantes da associação de moradores e grupo de idosos de Mangabeira, e da clínica Polivisão.

Policiais Militares, Carol (Polivisão), Marcelo Martins (Sindalcool-PB) e a educadora de trânsito Abimadabe Vieira.