O Brasil produziu quase 35 bilhões de litros de etanol de cana-de-açúcar em 2019 e espera aumentar esse volume para 50 bilhões até 2030, com o programa RenovaBio, que acaba de entrar em vigor. O objetivo é aumentar a produção de biocombustíveis no país de forma mais eficiente e sustentável, reduzindo a emissão de carbono no processo produtivo.

Com o programa RenovaBio, que entrou em vigor na terça-feira, 24, o etanol ganha ainda mais importância na matriz energética do país, assim como o plano de tornar o setor ainda mais sustentável ambientalmente.

Agora, aquelas usinas que já estiverem certificadas poderão usar suas operações físicas de etanol para emitir os Cbios. O Sepro já apresentou a plataforma, daí cada usina vai procurar um banco ou corretor para fazer o processo de escrituração.
A B3 já está preparada para atender os pedidos de registro em tempo hábil.

Cada tonelada de carbono emitida a menos na atmosfera, dará direito a um CBIO, que será negociado na Bolsa de Valores. Cerca de 200 produtores de biocombustíveis, incluindo 5 usinas da Paraíba que já está em processo de consulta pública, já procuraram a Agência Nacional do Petróleo (ANP) para iniciar o processo de certificação.

Por isso, pensamos que ao abastecer nosso veículo, não estamos só levando em conta o preço do etanol em relação à gasolina, mas sim todas as externalidades positivas que o setor e o produto em si transmite, seja na forma de geração de empregos, seja na forma de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE), ou em vários outros motivos.

Fonte: canalrural. com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *