Chega à reta final nesta quinta-feira (5), a 3ª edição do Selo Agro+Integridade, uma iniciativa do Ministério da Agricultura (MAPA) para premiar empresas do agronegócio e cooperativas em ações de sustentabilidade, mitigação de práticas de fraude, corrupção, entre outras. A análise de documentos e processos dos participantes do prêmio foi realizada por um Comitê Gestor, com a participação do presidente da associação que reúne as empresas produtoras de etanol, açúcar e bioeletricidade (Sindalcool), Edmundo Barbosa, representando o Conselho Nacional da Indústria (CNI) e o Conselho Coagro.

O dirigente do Sindalcool destacou a satisfação e honra de representar o CNI e a Fiep, e ainda falou que o trabalho do Comitê Gestor do Selo Agro+Integridade é minucioso e sempre necessário na defesa da ética e da idoneidade dos interesses da indústria, evitando assim o viés contrário aos empreendimentos empresariais. “Os processos no sistema SEI são analisados um por um em todos os documentos para que ao final, sejam conhecidas as empresas que poderão utilizar esse selo de boas práticas na sustentabilidade, responsabilidade social, ética e integridade”, destacou.

O SeloAgro+Integridade foi instituído em dezembro de 2018 pela Portaria MAPA nº 2.462, com o objetivo de fomentar, reconhecer e premiar práticas de integridade por empresas do agronegócio sob a ótica da responsabilidade social, sustentabilidade, ética e ainda o empenho para a mitigação das práticas de fraude, suborno e corrupção (integridade).

Esta linha de atuação, voltada para o apoio e fomento à implantação de políticas de integridade pelos estabelecimentos agropecuários, já estava prevista quando da implementação do Programa de Integridade do MAPA em abril de 2017, conforme artigo 3º da Portaria MAPA nº 705, de 07/04/2017, adequado pela Portaria MAPA nº 60, de 10/04/2019, que colocou a instituição ministerial como pioneira entre os ministérios do Governo Federal na implementação de selo setorial.

Esse ano, o selo avança nos temas de Transparência e Gestão de Riscos, acompanhado de um novo patamar de maturidade do setor.

As empresas de todos os setores da economia já estão sendo cobradas pelo mercado por ações voltadas para a responsabilidade social, sustentabilidade e eliminação de práticas corruptas, seja na relação entre si, seja na relação com governos municipais, estaduais e federal, no Brasil, e nas suas relações comerciais internacionais.

Assim, na prática, com a implementação deste selo busca-se coadunar as ações em curso pelas empresas e cooperativas do agronegócio, a fim do efetivo reconhecimento interno e externo, bem como o natural estímulo para os demais setores da economia.

Comitê Gestor do Selo – Para análise das avaliações técnicas efetivadas pela área de integridade do MAPA sobre as documentações encaminhadas pelas empresas e cooperativas interessadas em obter o Selo de Integridade do MAPA foi instituído por portaria, o Comitê Gestor da premiação, composto por um rol de instituições públicas e privadas encarregadas da homologação do resultado final.

As empresas e cooperativas vencedoras receberão suas premiações em janeiro do próximo ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *