Sindalcool participa de workshop sobre inovações tecnológicas

De olho no futuro e como forma de apostar nas novas tecnologias, o Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool na Paraíba (Sindalcool), participou nesta quarta (14) e quinta-feira (15), do I Workshop Inova UFPB – Desafios do Licenciamento e Transferência de Tecnologias na Região Nordeste que acontece em plataforma virtual.

A programação do evento, nos turnos da manhã e tarde foi bastante intenso, e dentro da grade, a palestra sobre a experiência do LabFilm da UFPB, ganhou destaque e foi ministrada pela coordenadora do setor, a doutora Flávia Medeiros.

A docente informou que ficou muito feliz com a receptividade do Sindalcool, pois acha uma ótima ideia o Etanol Day, e nesse momento é preciso somar investimentos em prol de pesquisas e inovações tecnológicas.

“Estou na UFPB há nove anos e nosso crescimento vem sendo aos poucos. Atualmente, coordeno juntamente com a professora Kelly Gomes um laboratório de filmes finos. Nas células de óxido sólido, confeccionamos componentes cerâmicos finos e estudos de caracterização elétrica. Estamos com a necessidade de expandir esses estudos para análises com fornos que possuam atmosferas de hidrogênio ou etanol, a fim de analisarmos o comportamento desses materiais”, informou Flávia.

Segundo ainda a coordenadora do LabFilm, esse ano foram iniciados estudos de simulação numérica nas células a combustíveis, pela necessidade de otimização dos componentes. E no ano passado, foi reaberto o laboratório, por meio de uma chamada da Fapesq, onde foram desenvolvidos filmes finos para filtros antivirais. “Com nossas pesquisas em preparação e processamento em células a combustível e coletores solares, conseguimos desenvolver e otimizar os filtros e estamos na fase da patente”, anunciou.

Para o presidente do Sindalcool, Edmundo Barbosa, a realização do primeiro Workshop Inova, a agência de inovação da UFPB, mostra a maturidade nas discussões sobre o licenciamento de tecnologias e trata da questão de maior ou menor intensidade de conhecimento nas atividades produtivas.  “A Inova sucedeu o antigo núcleo de registro de patentes e a UFPB destacou-se desde então, por expressivas contribuições de seus pesquisadores como uma das três universidades brasileiras em número de patentes”, lembrou.

Edmundo ainda informou que o Sindalcool esteve presente desde a elaboração do estatuto, oferecendo contribuição do setor privado para a resolução de problemas complexos através da pesquisa aplicada. “Inovar ou inovar, o professor Petrônio Athayde Filho dinamizou a agência desde a sua fundação, sob a inspiração da urgência da inovação como o desafio mais importante que se impõe ao Brasil. Esse laboratório está na rota do hidrogênio verde, derivado do etanol e outras fontes, motivo de grande esperança para as próximas décadas na área de energia renovável”, destacou.

         O evento foi aberto oficialmente na quarta-feira às 9h00, e contou com a participação do reitor da UFPB, Valdiney Gouveia, presidente da INOVA, Kelly Gomes, pró-reitor da PRPG/UFPB, Fernando Perazzo, presidente da Fapesq, Roberto Germano Costa, diretor executivo da EMBRAPII CEEI/UFCG, Hyggo Almeida e o presidente do Sindalcool, Edmundo Coelho Barbosa.

         O evento trouxe ainda como discussões, diversos temas, entre eles: Hub Salvador e o Papel das Hubs de Inovação nos Ecossistemas Empreendedores; Licenciamento e Transferência de Tecnologia na UFCG: Dificuldades, Estratégias e Tendências; Inovação: do problema a solução, entre outras.